26 de junho de 2011

Escolhas sem retorno III

Não me mexi, senti algo mexer-se, e aproximou-se do meu reflexo, o seu reflexo. Ainda ia a tempo de fugir dali, não o conhecia, nem queria conhecer, que é que ele veio fazer atrás de mim, não tinha nada que o fazer. Deve ser tolo ou algo do género.
- Olá. És boa atleta, mas nem te lembras que deixas-te cair o telemóvel, isso demonstra que também és muito distraída.
Decidi encará-lo de frente e deixar de me armar em anti-social – Eu… - Por instantes fixei naqueles olhos verdes, profundos - … Peço imensa desculpa, e obrigada.
- Porque é que fugiste assim de mim?
- Porque é que vieste atrás de mim?
-O teu telemóvel é pior que a sirene da carrinha dos bombeiros, e não parou de tocar, podia ser uma boa escolha ficar com ele, mas as pessoas parecem preocupar-se contigo, mesmo.
- Obrigada.
- Nunca ia ficar com o teu telemóvel, e já agora, eu sou o Rafael, e tu, és…
(Telemóvel toca)

Continua ;)
Escolhas sem retorno II aqui

9 comentários:

branwyn disse...

Ohh estou a amar!

Ana Margarida disse...

Adoro, adoro, adoro *.*

inês disse...

*vi o teu comentário no outro blog*
oh, ñ percebo pq :s
pois, eu já vi, só q já fiz a tag, mas obgd na msm :D

inês disse...

ps: estou a adorar!

branwyn disse...

muito obrigada :)

- andreia pereira . disse...

lindo amor , continua :)

R. disse...

Podes crer.

P.S. : BOA IMAGINAÇÃO! :)

branwyn disse...

ohh muito obrigada! e eu adoro ler a tua história! espero a continuação *.*

dianafilipa. disse...

amo, amo & amo *-*