17 de maio de 2011

Oh yeah, the years pass by us and we're still here!


   Quando caio, feridas são abertas na minha pele morena, quando caio, uma dor exalta todos os meus músculos, até cair uma lágrima. Quando caio, o meu primeiro impulso é ter a certeza, que aquele é o chão, e de lá não passo. Mas mais importante. Quando eu caio, mesmo sem pensar, sem pedir, apenas necessitando aparece ela. Aparece ela e procura o melhor método para curar as feridas de doem, doem e continuam a doer.
"Hoje, dia 16 Maio de 2011, estou aqui no meu silencioso quarto, são 23:31, e eu estou aqui sem sono. Decidi escrever. E ponho-me aqui a escrever sobre feridas. É, dizem que não tem jeito, mas tem sentimento. Porque nós fazemos a amizade, nós formamos essa coisa, essa tal coisa que muitos procuram, mas ela aparece naturalmente, muitos a invejam, mas ela é verdadeira por si própria. É quase meia noite, e os meus olhos estão cansados. Estou à espera do momento certo para te dar os parabéns, para te ligar ou simplesmente mandar-te uma mensagem. Mas continuando…"

(…)

Éramos crianças, pequeninas, frágeis, e indefesas, não sabíamos nada como a vida. Vivemos, assim aprendemos da melhor forma. Assim discutimos da forma mais natural, sem guiões, telepontos, não seguíamos uma palavra. Dizendo sempre o que ia no fundo da nossa alma. Foi com a experiência de vida que aprendemos a correr juntas, do mesmo lado, e de mão dada. Aprendemos a sorrir, aprendemos a dançar, a dar um chuto numa bola, aprendemos a aprender apenas. 
Aprendemos muito? - Não, comparado com o que iremos aprender, o que aprendemos é muito pouco. 
Vamos aprender mais coisas juntas? - Pois, não sei. Mas eu aprendi a adorar-te, a admirar-te e a viver contigo do meu lado, contigo a levantar a minha cabeça, e não devemos desperdiçar os conhecimentos. 
Não é verdade? - É!

Andreia, vais para onde? Posso acompanhar-te na longa caminhada?
Andreia, queres chorar? Não o faças, desabafa, conta comigo, eu choro por ti.
Andreia, precisas de ajuda? Farei o meu melhor.

Porque não são palavras mínimas, não são apenas as letras que juntam uma palavra bonita que fazem uma amizade prevalecer, durar, fortalecer, e continuar.
A-M-O-T-E
A-D-O-R-O-T-E

Profiro estas palavras todos os dias, a toda a hora, chega? Não, não chega. Nunca chegará. O abraço, é prova de uma barreira superada. Um beijo é um dia superado nas nossas vidas, em que os nossos caminhos se cruzaram. Um sorriso, é um enfeito muito bonito, para as pessoas verem a nossa felicidade, em conjunto, como um grupo, de duas meninas unidas, que são amigas. Que dão o melhor todos os dias para conseguirem destruir os altos muros que se atravessam no caminho.


PARABÉNS ANDREIA, HOJE É O PRIMEIRO DIA DO RESTO DA TUA VIDA 

Blog da Andreia : aqui ( # Own Way )

4 comentários:

- andreia pereira . disse...

não imaginas o quanto eu preciso de ti e o quanto me fazes feliz, não há mesmo palavras, sabes aquela amiga que eu vou precisar sempre, uma irmã que eu tenho tanto, mas tanto orgulho e sei que vai estar lá sempre, mesmo que o mundo me deixe sozinha, vou ter.te sempre ao pé de mim, e tenho muitos medos, e um deles é sem dúvida perder-te, não estava à espera disto, não estava mesmo conseguits por-me a chorar com este texto lindo, é verdade, já lá vão 11 anos em que permanecemos juntas ! E o que é bom é ter alguém como tu ao pé de mim neste dia especial. AMOO-TE TANTO, TANTO, não tenho mesmo palavras, minha pirralhinha, és aquela com quem eu desabafo, que me abre os olhos e me guia. Obrigada por tudo, mesmo que este obrigada nunca chgeue !

Daniela Patrícia disse...

que lindo *
Gostei tanto +.+

wikiiii disse...

Gosto muito dos teus textos n.n
Sigo*

(podes.me dizer qual é o nome da musica ? *.*)

Daniela Patrícia disse...

Obrigado! :$