17 de maio de 2011

Sentido de Vida # 11


   Já estava alegre demais, no meu quarto a cama já rodava , eu rodava com ela, ou assim o pensava. A música estava em altos berros. E os meus saltos que faziam os calcanhares bater com força no chão do meu quarto começava a incomodar os vizinhos.

I can't seem to face up to the facts
I'm tense and nervous can't relax
I can't sleep, MY bed's on fire
Don't touch me I'm a real live wire

Psycho killer, qu'est que c'est
Fa Fa Fa Fa Fa Fa Fa Fa Fa Fa Better
Run Run Run Run Run Run awaaaaay
oooohoohooohooooooo, yeah yeah yeEA…”

   O Luís abre a porta de rajada. E com os seus altos berros alerta-me para o barulho: "Baixa já essa porcaria, ‘tás parva?"
   O meu susto foi grande, não contava com aquela parte da gritaria. Olhei para ele, com o meu olhar mais desprezível, com a garrafa na mão. O Luís, parou a música, e ficou abismado a olhar para mim.
   Luís: O que andas a fazer? Olha para ti, no que te andas a meter, que se passa?
   Continuava sem proferir uma palavra, ficamos os dois calados durante momentos, longos momentos, em que eu não sabia se havia de esconder a cara, ou ainda continuar. Eu não estava a conseguir esquecer, eu ainda tinha noção do que fazia. Então voltei a encostar o gargalo da garrafa à minha boca, mas antes disse: "Sou infeliz, sou burra, sou estúpida, penso que a vida é um conto de fadas, e todos conseguem o que querem, óh, não é. Se é assim que a vida quer que eu seja, vou fazer-lhe a vontade. Não tenho de ser o orgulho da família, pronto. NÃO SOU, temos pena! Já que é tudo um ciclo de viciados, quero saber a sensação de um controlo por uma simples bebida."
   Assim virei a garrafa para a minha boca, já a meio. O líquido não chegou à minha boca, o meu irmão tirou-me a garrafa da boca, e atirou-a para o chão, partindo-a.
   Eu: Pensas que tas no teu quarto não, saí daqui. Vais limpar antes disso, mas vais sair daqui! JÁ!
   Virei-me para a janela, e comecei a rir-me. Assim, sem razão, assim, indecifravelmente.
   Luís: Tem piada? Tem? Tem? Diz-me , que se passa, que se passou com o Kevin?
   Eu: Porque é que tem de ser o Kevin, diz-me, porque razão seria?!
   Luís: Porque é a pessoa que mais amas neste mundo. Acertei?
   Como pedradas na cabeça, comecei a sentir a minha cabeça pesada. Baixei a cabeça, uma lágrima voltou a escorrer no meu rosto, fazendo o mesmo trajecto de sempre, saí do meu olho inchado e vermelho, passa pela minha cara e quando alcança o fim da minha face, caí, no chão, nas minhas pernas, quando não são enxugadas pela minha mão. Ele abraçou-me, amarrando-me fortemente nos seus braços, familiares, seguros.
   Luís: Eu estou aqui, sentes, o meu abraço. Agora diz-me. Que se passa? Eu não consigo ver a minha mana querida assim. Fala comigo. Desabafa. Diz tudo o que te está a fazer isto. Porque tu não és isto…Eu quero ajudar-te.
   Eu: Ele mentiu-me, o rapaz que eu amo, quer voltar a deixar mal, porque tem o vício, o mesmo vício, do Vítor, mano, tu sabes, tu sabes que eu não aguento, mano ajuda-me!
   Ele não dizia nada, continuava calado, com a minha cara encostada ao peito dele, sentia o seu calor, sentia a sua preocupação.
   Luís: Sabes… Ele… As pessoas…
   Eu: Estás a chorar?
   Luís: Não querida, isto não é choro, é preocupação. Sabes, que existem coisas na vida, que são muito dificeis de superar. Mas agora não vamos falar sobre isso. Vou limpar isto, e tu vais descansar.
   Eu: Não, não tenho sono.
   Luís: Então vais tomar um banho, e tomar um café, e sem refilar. Os pais devem estar a chegar, não quero que eles saibam, ouppa!
   Fiz o que ele disse, e já com o quarto organizado, deitei-me sobre a cama.O Luís veio até ao meu quarto, ver como estava, sentou-se no canto da cama.
   Luís: Se eu pudesse, se eu fosse o Rei do mundo, eu punha-te no caminho certo, proíbia-te de qualquer sofrimento. Ma existem caminhos que só podem ser seguidos por ti. Amar é tão profundo e tão complicado. Tua amas o Kevin, de uma forma inexplicavél. Porque o amor é inexplicável.
   Eu: Mano, antes de eu amar seja quem for, tu és quem eu amo. Irmão é irmão, o meu amor por ti é inexplicável. Obrigada Luís, Obrigada mano. Amo-te.
   A minha cabeça doía, mas sabia o que dizia, amor de irmão é verdadeiro, continua a ser louco, tenho um irmão do meu lado, e ele ajuda-me. Juntos somos mais fortes do que todos os ventos.


Continua...

14 comentários:

Daniela Silva disse...

lindo +.+

Anónimo disse...

Muito Bonito! xD

Catarina disse...

loved it +.+
obrigada minha querida $:

Catarina disse...

ahah ainda bem :bb

silvia disse...

adorei :)

Sara'C disse...

Amei!

PauloSilva disse...

É mesmo isso!

«Psycho killer, qu'est que c'est» - AMOO!

R. disse...

Windoooo. *-*
Momento de desespero (?)

PauloSilva disse...

é fantástica!

R. disse...

Eu sei querida estava a brincar contigo.
Sim, talvez seja isso. Eu nem sei bem o que é, sinceramente.

RiTavares disse...

- E é a ler a tua história que me dá cada vez mais vontade de ter um irmão !
- O Luis é mesmo querido *-*
Continua quero maaaaiiiissss :D

Daniela Silva disse...

Obrigada *.* :$

BeatrizOliveira disse...

- escreves mesmo bem, Adoro*

anaraquelvj disse...

adorei *-* sigo :')