25 de julho de 2011

Escolhas sem retorno XXII


            - Não reagiste nada bem ao comunicado. – Disse entrando devagar no meu quarto. Sentou-se na minha cama. – Mas, filha… Tens de…
            - Mas tenho de quê pai? Eu não tenho de nada, eu estou farta disto, eu estou farta destas fugas, estou farta de ir para onde vocês vão, estou farta de ver a minha vida mudar por vossa causa, quero uma pausa, quero estar segura num sítio,. Quero não ter medo, quero não pensar que no dia seguinte eu posso ver que a minha vida vai voltar a mudar.
            - Eu respeito-te, eu respeito o que sentes filha, mas nós não nos podemos separar, sempre fomos uma das famílias mais unidas, entre nós não há segredos, nós somos a tua família, e temos de contar uns com os outros, e assim é que conseguimos, eu deixei toda a minha vida, toda a minha carreira, pela tua mãe, e depois, tu e a tua irmã foram o fruto do amor pelo qual eu e a tua mãe lutamos. E a Letícia não pode destruir isso.
            - Eu não quero sair daqui. – abracei-o, com todas as minhas forças. – Porque é que todos os homens não são como tu?
            - O que queres dizer com isso? – olhou para mim muito atento.
            - Nada pai. – Tentei sorrir.
            - Coração apaixonado? Não precisas de dizer que não, eu já tive a tua idade, é por isso que não queres ir embora?
            - Não é bem isso pai. Só que, tu lutaste pela mãe, deixaste tudo por ela, mudaste a tua vida, e proteges-nos, como se de ti se tratasse, diz-me qual é o homem que faz isso? És o melhor pai do mundo, és o homem mais honesto do planeta. Nenhum homem faria o que tu fizeste.
            - O que estiver apaixonado, e for aventureiro. – Riu. – Pensa nisto, quero a tua opinião. Mas, eu não queria deixar-te aqui, eu não queria que nos separássemos, filha.
            Saiu porta fora, e sorriu-me ao fechá-la. Fiquei olhando a porta. E não acreditava que aquilo tinha acontecido. No meio daquela conversa deu-me uma enorme vontade de lhe contar o que se passou, mas não fui capaz, sabia que podia mudar tudo. Tinha medo disso. Vesti uns calções e uma t-shirt e calcei as minhas converse, o mais casual possível, peguei na bolsa, e saí.
            - Pai, Mãe, vou dar uma volta. – Gritei para dentro da casa, e bati a porta.
          Precisava daqueles momentos, que poderiam ser os últimos, naquela cidade. Entrei por vários caminhos e dei por mim no Cais da Ribeira, aquele sítio lindo, que naquela altura estava cheia de turistas. Aproximei-me o mais que pude da água, o que não foi possível, devido à multidão que queria observar as animações daquele local, e os barcos que eram a maior atracção para aqueles turistas. Voltei para trás, não queria entrar mais na confusão, entrei mais uma vez nas sinuosas ruas, e tentei afastar-me o mais que pude da confusão. Já no fim da rua, aquela confusão terminava, sentei-me num banco, e pus os headphones, olhava em meu redor, e tentava ver qual seria a decisão mais acertada para este meu dilema. No meio destes pensamentos, olhei para a esplanada. O Rafael estava com a... a, qualquer coisa, lá, aos risinhos. Levantei-me e fui logo embora. Nem sei se me viu, pouco me interessou.
(...)
            Sentia que só um sítio de acalmava, sentia que só aquele sítio me acalmava. Fui à cascata, sentei-me mais uma vez no mesmo sítio, repeti os mesmos gestos.
«Sentei-me numa rocha, que parecia suspensa, molhei a minha mão na fresca água, e aproximei a minha cara, para ver o meu reflexo. Fiquei assim por uns momentos, fixada nos traços do meu rosto, e a transparência daquela água deixava-me ver o fundo.»

Continua ;)
Escolhas sem retorno XXI aqui

17 comentários:

silvia disse...

gostei muito *

PauloSilva disse...

acredita que é muuuito bom saber isso! :)

martasousa disse...

sim voltei, isto faz-me falta.

inês disse...

lindoooo, estou a adorar sté :D

dianacarinarbatoca ♥ disse...

eu estou a adorar a história !

RicardoRodrigues disse...

Muito obrigado :D
Partilha! Fazes bem x) Tem uma óptima mensagem o video! :D

inês disse...

de nada stéf :)

alexandra disse...

obrigada querida !
irá chegar :)
e tu quando metes a continuação desta história linda ? ADOREI *.*

alexandra disse...

oh, mas ainda tens tipo mais 5 capitulos ? ou mais ou vais acabar em breve?

silvia disse...

de nada :3

Joana Patrícia disse...

O Rafael não foi muito honesto com ela, deu-lhe falsas esperanças. Estou a adorar :)

' âng. disse...

ficou muito mesmo. mas percebeu que não tinha razão. já estamos bem, finalmente ;$ eu gosto mesmo dele ;x

quanto mais leio a tua história mais vontade tenho de ler mais *-*

Adriana Teles disse...

Sigo*

Adriana Teles disse...

Owe *-*
Obrigada :p

V. Daniela disse...

amei a tua história, é linda, vou seguir e quero ler mais.

Ana Margarida disse...

Perfeito, perfeito, perfeito :)

Ana Margarida disse...

Perfeito, perfeito, perfeito :)