21 de maio de 2011

Sentido de Vida # 13


   Olhava o telemóvel de 20 em 20 minutos, estava à espera de uma mensagem do Kevin, mas nem sinal. O meu pai, tinha-me ocupado o tempo, mas não tinha grande efeito de alegria, não parava de olhar o relógio, não parava de olhar o telemóvel. Não parava de sentir saudade. Último dia da grande semana. O meu pai disse que não ia precisar mais de mim, e tinha o fim-de-semana em descanso, só meu. Só ainda não tinha a certeza se seria um bom fim-de-semana, ou mau.
   De tanto cansaço, já nem me lembrei do telemóvel, realmente, só queria descanso, só queria aquela noite de sono, que eu não tinha à algum tempo. Mas , o meu mano, tinha de vir , e interromper o meu sono.
   Luís – Sté, estás acordada?
   Eu  - Não, não vês que estou a dormir.
   Luís – Vá, não estou a brincar. Tenho uma coisa para dizer.
   Eu – ‘éláh’, uma bomba… Quem é a miúda, conta lá aqui à mana, eu estou aqui a ouvir-te.
   Luís – pois, não há miúda, venho cá dar-te uma notícia.
   Eu – não me digas que engravidaste uma rapariga, ela fugiu do país e deixou-te com a criança. Vou ser tia! Que lindo.
   Luís – Stefanie, não estou a brincar, eu preciso mesmo, de te dizer isto, tens de saber, e não é comigo, é com o Kevin, e o Simão.
   Eu: Ah?
   Luís – Calma, eu estava a vir do curso, e ao passar pelo hospital, estava lá o Kevin…
   Eu - O que é que se passou com o Kevin?
   Luís - O kevin está bem, o Simão está internado.
   Eu – Como assim, internado?
   Luís – Ele está mal, mesmo. Está com o ritmo cardíaco muito fraco, problemas nasais e pulmonares. Os problemas de um fumador, mas acho que mais fortes.
   Eu – Eu tenho de ir ao hospital, eu tenho de ver o Simão , e tenho de ver o Kevin, nem que seja de vista apenas, levas-me (?) , por favor.
   Luís – Claro, mas tem de ser rápido.
(…)
   Luís – Vais só, ou queres companhia?
   Eu – Não te preocupes, vou só, e rápido. E se me arrepender mais rápido será.
   Entrei naquele hospital, eu detesto hospitais, as pessoas a queixarem-se de dores, e ver ali alguns médicos encostados à parede, a cumprir horário, mas não a cumprir ordens e salvar vidas, como o deviam fazer.
   O Kevin, estava na sala de espera lá ao fundo do longo corredor de cabeça baixada, já não sabia se deveria ir ter com ele, ficar ali à espera que ele viesse, ou fugir, e ir embora. Não sabia o número do quarto do Simão. Aproximei-me.
   Eu – Qual é o número do quarto do Simão?
   Kevin – Sté, ainda bem que estás aqui.
   Eu – Estou com pressa, quero ver o Simão, e sair daqui. Não gosto deste ambiente.
   Kevin – Compreendo, foi aqui que o V…
   Eu – Sim, foi, e estás à espera do momento em que vens tu, o Simão está não se sabe como, acaba tudo no mesmo não é?
    Kevin – Quarto 22.
   Virei costas e fui vê-lo, não sei onde fui buscar aquelas forças, eu própria estava espantada. Já no quarto 22, não sabia ao certo o estado do Simão. Não queria saber, não queria pensar muito nisso, mas sabia que ele estava com o mesmo problema do Vítor, apenas fiquei ali dois minutos, ele estava naquela maca imóvel, a dormir, e vivo, praticamente por causa de máquinas.
   O Luís estava à minha espera lá fora.
   Kevin – Espera (aproximando-se)
   Eu – Para quê? Assistir ao espectáculo que só acaba quando estiveres no mesmo sítio que o Simão está e o Vítor esteve. Desculpa, tens menos um elemento no público.
   Saí dali, e fui para casa, sem dizer uma palavra durante o caminho de volta, o meu irmão não tocou no assunto.
   Eu estava com medo, sabia que tinha sido fria, e não devia tê-lo deixado sozinho.


Continua...

27 comentários:

simple writer disse...

continua a publicar estes deliciosos textos :)

simple writer disse...

a disponibilidade não tem sido muita :s daí que ja ponderei abandonar o blog.

simple writer disse...

eu sei disso :s só que este blog assim como vós mereceis todo o meu carinho e disponibilidade a 100% e não consigo dar nestes proximos tempos :s

inêsf. disse...

que fique bem claro que odeio matemática, ODEIO! xd
mas tenho que estudar .

simple writer disse...

talvez faça isso :)

PauloSilva disse...

Talvez seja mesmo isso minha querida :)

Gostei , está tão fofinho *

inêsf. disse...

não é mesmo, nada mesmo :c

PauloSilva disse...

ora essa

- andreia pereira . disse...

gostei , muito :)
essa stefanie , consegue ser mázinha !

Leonor disse...

gostei muito, continua :)

Catarina disse...

obgda ainda bem :)

inês disse...

ahah, pois não :p
também estou a adorar a tua história, queria muito que a Stef e o Kevin ficassem juntos *-*

inês disse...

hmm, está bem :)

silvia disse...

continuação querida :D

Sara'C disse...

Estou a amar :b

Lєтıs '' disse...

. obrigada (:

ritag. disse...

obrigada querida *.*
ADOREI !

Leonor disse...

ainda bem que gostaste. Espero bem que nao acabe da mesma maneira :)

Tarsila Aroucha disse...

musica linda, texto lindo!
gostei do clima por aqui.. (:

Soraia Lopes disse...

isto abre o 'apetite' para a parte seguinte (:

ritag. disse...

não precisas de agradecer, ficarei ansiosamente à espera da continuação *.*

Leonor disse...

sim, felizmente :b

ritag. disse...

acho muito bem minha querida, adoro mesmo a tua história (:

criistiana' disse...

obrigada (:

ritag. disse...

acredita que gosto imenso (:

Pensando com a Arte disse...

força*
estou contigo (:

Marlene Quintas disse...

Encontrei o teu blog por acaso e acho que está bastante bonito e agradável de visitar. Gostei bastante da história, vou seguir. * :)